Nem tudo o que luz é ouro

4. Reabilitação no Canadá

O portal dos Locais Contaminados Federais (!) do Canadá – http://www.federalcontaminatedsites.gc.ca/default.asp?lang=Fr&n=BAC292EB-1 – “repertoria mais de 21.000 explorações federais. Esse número inclui locais contaminados, locais susceptíveis de ser contaminados e cerca de 9.000 locais classificados como “encerrados”, seja porque já terminaram os trabalhos de recuperação ou porque foi avaliado que não era necessária nenhuma medida.” Tudo isto no paraíso das mineiras de exploração de ouro. Ainda não li que chegue para saber quantas têm encerramentos recentes, lamento… Quem encontrar primeiro, faça o favor de comunicar.

Para os mais interessados, proponho leituras várias em http://www.abandonedminesnc.com/?page_id=2

Fixemo-nos só numa mina abandonada no Canadá, que funcionou entre 1948 e 2004. Deixou atrás de si 237.000 toneladas de trióxido de arsénio encerrado em galerias. Eis um problema que não terá a Boa Fé: todas as que se prevê serem mobilizadas vão directamente para o ar e águas subterrâneas! Só na barragem de rejeitados ficarão mais de 10 mil toneladas, isoladas do solo por uma membrana perecível e insubstituível na prática. Mas há mais 106 mil toneladas de onde vêm essas, que ninguém diz o que lhes será feito. Na verdade, não sabem. Mas uma certeza ninguém pode negar: não vão parar longe. Se os espanhóis estiverem enganados, não passam de um raio de 50 km. Quem estiver por aí, que se cuide.

Voltemos ao Canadá e à tal mina de ouro: “já” tem um Remediation Project (o Inglês não vai lá com esta nossa suavização da desgraça, amenizando com “recuperação”) – http://www.aadnc-aandc.gc.ca/eng/1100100027364/1100100027365. Cito apenas o primeiro parágrafo: “ O principal objectivo do Projecto de Remediação de Giant Mine é proteger a saúde e segurança humana, [vírgula] e o ambiente. Isso requer a contenção e gestão de longo prazo dos resíduos de trióxido de arsénio, tratamento da água e limpeza de superfície do local.”

A mina foi abandonada em 2004 – há menos de 10 anos -, deixada ao cuidado do Governo, para limpar a porcaria que lhes ia sair tão caro tratarem, sem lucro para os accionistas. Mas em Portugal isso não vai acontecer, que o Governo tem tudo acautelado – haja optimismo! Cá… como lá!

parson 

Equipa da Parsons procede à desconstrução de equipamentos utilizados na captura de poeira de trióxido de arsénio durante o processo de separação do ouro na Giant Mine. A desmontagem acabou em 30 de Outubro de 2013.

Anúncios

Deixe uma Resposta

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão / Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão / Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão / Alterar )

Google+ photo

Está a comentar usando a sua conta Google+ Terminar Sessão / Alterar )

Connecting to %s